23.8.08

Andando na Bala


Alan Parker é um estudante da Universidade do Maine e viveu sua vida toda com a mãe, Jean Parker, que se esforçou para criá-lo sem um pai e sem dinheiro. Ao crescer, Alan foi morar sozinho perto da Universidade do Maine. Um certo dia, Alan recebe uma ligação da amiga de sua mãe, dizendo que ela havia sofrido um derrame, mas nada grave e que logo ficaria bem. Preocupado com a mãe e tendo seu carro quebrado, Alan decide pegar carona até o hospital aonde a mãe está. A primeira carona é com um velho estranho que fica toda hora mexendo na fivela da calça e cujo carro fede a mijo. Após perceber que o velho era estranho demais, Alan fica em uma cidade disposto a pegar uma nova carona. Ao se perder em um cemitério, Alan vê um túmulo de um homem chamado George Staub. Após ficar aturdido com a frase da lápide ("Não adianta chorar sobre o leite derramado", que era uma frase usada por sua mãe), Alan tropeça e desmaia. Ao acordar, pega carona novamente, com um cara jovem, tatuagem no braço e chamado... George Staub. Alan percebe diversas coisas que o deixam consternado: o carro fede a terra, Staub tem muitos pontos envolvendo a cabeça (como se tivesse sido costurada) e ao fumar, a fumaça do cigarro sai pelo pescoço de Staub. Logo, Allan percebe que Staub é um mensageiro da morte e obriga Allan a fazer uma cruel escolha: sua morte ou a morte de sua mãe. Alan escolhe a morte da mãe, Staub o empurra do carro e Alan acorda no cemitério, percebendo que havia sonhado tudo isso. Porém, mais tarde no hospital, Alan percebe que tem um botton escrito "Eu andei na bala", antes usado por Staub. Afinal, a mãe de Alan não morre... não naquele momento, mas morreu anos depois. Alan sabia que Staub a tinha levado, não importa quanto tempo tivesse passado.
O título do conto refere-se a uma montanha-russa chamada "Bala". Alan, quando criança, tinha feito sua mãe esperar horas na fila com ele e desistiu no último momento. Staub morreu em um acidente de carro, logo após andar 4 vezes na "Bala" e beber muito e, como mencionado antes, possuia um botton escrito "Eu andei na Bala". Além disso, Staub se refere a morte como "andar na bala".
O filme de "Andando na Bala" (que foi traduzido aqui como "Montado na Bala") foi lançado em 2004, assim como o de "1408", sofreu várias adições e alterações. A história do filme é razoalvemente diferente da do conto.
Abaixo segue o trailer do filme:

Um comentário: